Quanto Custa Seu Tempo?

Você sabia que todos nós vendemos nosso tempo? O que nos diferencia financeiramente, é o valor no nosso tempo e para quem nós estamos vendendo.

Independente da profissão que exerça, sua atividade requer um tempo que ser executada, certo? Quando trabalhamos para um empregador por um salário, estamos vendendo nosso tempo, que geralmente é de oito horas, para nosso empregador, pelo valor do salário que recebemos.

O valor do nosso tempo é proporcionalmente inverso ao quão comum é a atividade. Quanto mais igual a de outros for, menos o tempo vale. Veja, não quero dizer mais fácil, muito menos simples, mas comum no sentido de poder ser feita da mesma forma por outra pessoa. Independente da profissão, é no diferencial que estão os que se destacam. No carnaval de 2007 o gari Renato Sorriso, com seu carisma, conquistou a todos, conseguindo a partir daí, oportunidades que mudaram sua história. Temos exemplos de pessoas muito bem sucedidas nas mais simples atividades, assim como temos profissionais decadentes em posições que exigem grande preparo. E isso por não terem um diferencial. Por fazerem o básico de forma comum.

Num mercado onde muitos vendem seu tempo por um salário mínimo ou mediano, em atividades medíocres, onde deixam de desenvolver seus potenciais, desperdiçando até mesmo suas vidas, somente uma carência desse tipo de colocação, pode nos forçar a nos descobrirmos e nos desenvolvermos como pessoa. A busca por nossos dons e talentos pode parecer difícil mas é muito mais recompensador que não o fazer e tentar se enquadrar em moldes que nos limitam e muitas vezes até nos bloqueiam nessa descoberta. Todos temos aptidões e gostos por determinadas tarefas. Seja cantar, organizar, advogar, clinicar, limpar, não importa, todas as funções são importantes. Contudo ainda não estamos fora do mercado desvalorizador do indivíduo. Ainda temos algumas amarras à este sistema de enquadramento do humano. Mas também estamos no caminho desse desenvolver, onde cada atividade será valorizada pela aptidão de quem executa. Onde uma pessoa que exerça seu dom,mesmo que dentro de uma tarefa simples, possa demonstrar seu potencial e ser valorizada. Onde uma pessoa que tem o dom da limpeza e organização, posse esperar uma vida bem sucedida por se dedicar ao que gosta de fazer.

Partindo do princípio que toda função é igualmente importante e de que para cada uma exitem pessoas com talento especial para exercê-las, então todas deveriam ser igualmente valorizadas. Por isso uma “crise” em empregos que não dão valor ao talento de cada um, pode fazer com que esse diferencial do indivíduo seja explorado para que então cheguemos a um sistema onde seu tempo valha pelo seu talento e não por sua posição social.

Buscar no que gostamos de fazer, um meio de sustento é o que pode nos levar a um destaque dentro de qualquer atividade e com isso transformar um mercado que está em queda livre. Pensando na verdade de que tudo o que pode ser feito por diversão, alguém faz por profissão, podemos nos dispor de energia para este fim.

Você está satisfeito com o que faz? Ótimo! Mas se não está, ou está sem colocação no mercado, então… o que gosta fazer? Pense nisso e foque nessa direção que portas inesperadas irão se abrir para te direcionar a sua realização pessoal, profissional e financeira!

Todos nascemos com um dom e descobri-lo é uma missão…  

Exerça seu dom, dando assim mais valor ao seu tempo e verá que seus horizontes ampliarão.

Valorize seu tempo!

Luz, paz e sucesso irmãos!

 

Deixe uma resposta